fevereiro, 3 2015
toys1_r1_c1

Imagem do template do meu blog em 2003

Minha vida, essa eterna obsessão infinita por mostrar o xadrez da transparência do photoshop

ana e os signos

novembro, 12 2013

Efeito proustiano culturalmente condicionado: provei uma madeleine e me veio a imagem do Deleuze.

casa nova

dezembro, 28 2009

Tchau y gracias aos que me liam por aqui! Este blog está se mudando pra cá. :)

no repeat

julho, 27 2009

What did
you want to see
What did you want
to be when you
grew up?

To go away and not look back
And think of what the others say
To go ahead and change your life
Without regard to what they said
And everyone must do the same
You find yourself must again
The better things you left behind
But looking back you may go blind

what was yours and mine appears to be a sandcastle that the gibbering wave takes

julho, 23 2009

Eu tenho essa lembrança infalível do eclipse do dia 3 de novembro de 1994. A professora de geografia nos liberou para irmos mais cedo pra casa; muitos de nós não tínhamos radiografias ou óculos de sol em mãos e não podíamos perder o evento. Da frente da escola, onde eu cursava a oitava série, podia ver a casa do meu melhor amigo. Eu o vi à distância, sentado na mureta onde invariavelmente nos encontrávamos, espiando o sol com medo de olhar diretamente. Atravessei a ponte e me encaminhei pra lá, enquanto a luz do sol ia ficando laranja. Assistimos ao eclipse juntos, dividindo uma radiografia do meu pulmão (bronquite na infância). Eu era platonicamente apaixonada por esse amigo, mas ele namorava outra guria (que também era minha amiga). Comemos bolachinhas que a irmã dele (que tinha uns 4 anos) nos trouxe. Não me lembro de ter anoitecido completamente.

Modern guilt won’t get me to bed

julho, 17 2009

Uma pessoa importante me disse uma vez – lá se vão uns 12 anos – que eu não ocupo todo o espaço que me cabe. Deixa eu explicar: na teoria dessa pessoa, cada um de nós tem um “metro quadrado” de espaço para si. Esse espaço é totalmente metafórico; não entendam como um escudo invisível que nos proteje na rua ou enquanto escovamos os dentes. O que acontece é que tem gente que ocupa mais espaço do que o seu metro quadrado. E quando alguém ocupa mais do que o seu espaço de direito, é por que tem alguém ocupando menos espaço do que deveria. Segundo esse amigo, eu sou uma dessas pessoas.

busy

junho, 18 2009

Sentindo frio
Tentando aprender a tocar a Primavera de Vivaldi e a Nona Sinfonia de Beethoven
Achando que a Julia toca qualquer uma delas muito melhor do que eu
Acordando de madrugada pra perguntar ao namorado: “será que o arco-íris pode ser visto do espaço?”
Cozinhando sopas de capeletti
Celebrando a existência da minha irmã perdida
Tomando cervejas no Papuera, na Casa de Joquim e no Cruz de Malta da Quinze
Comendo chocolates deliciosos que ganhei no dia dos namorados
Admirada com a empolgação da Julia com a matemática
Apaixonada por esse video (a música começa em dois minutos de vídeo, mas a entrevista antes é legal também)
Feliz demais por estar fazendo mestrado na educação
Lendo o meu Adeus, Tia Chica! (autografado pelo MauMau)
Esperando que a Sami venha pra me vender um Toscomics
Escrevendo artigos para eventos da educação (só conto pra onde se me aceitarem, hehe)
Lendo Deleuze for Dummies
Sentindo falta do verão
Brincando no meu computador novo
Sonhando que eu bordava o caminho Pelotas – POA nas calças do meu pijama favorito (nenhum sentido)
Pesquisando etnografia, e percebendo que não vai dar pra usar etnografia no meu trabalho
Desistindo da etnografia e lendo sobre pesquisa-ação
Pensando menos em aprendizagem, e mais em subjetividade
Criando um blog de pesquisa que ainda não comecei a alimentar (quando começar, eu linko)
Me apaixonando por tardes de sábado ensolaradas, compartilhadas com meus béstis no Laranjal
Comprando balões de hélio superfaturados na fenadoce
Ouvindo Pulp, Talking Heads e outras velharias
Me atrasando 15 minutos pro trabalho, todos os dias
Juntando dinheiro pra festa de aniversário da Julia
Gostando da névoa que aparece em Pelotas nas últimas manhãs
Ficando feliz pelas boas novas envolvendo amigos e pessoas legais em geral
Querendo comprar vinhos e queijos pra ver se volto a gostar do inverno
Atendendo o telefone em inglês (involuntariamente)
Sentindo falta de encadernar, desenhar, projetar
Querendo viajar pro uruguai
Querendo férias
E tri feliz :D

maio, 26 2009

Nerd Quiz

Nerd Quiz from Dumb Spot!

Dumb Quizzes | MySpace Quizzes & Quotes | Make a Quiz

abril, 27 2009

O cometa Halley foi o responsável por Murilo Mendes se interessar pela poesia. Drummond de Andrade só bebia cerveja, martini e vinho madeira. O primeiro nome de Vinicius de Morais era Marcus. Fazia 1 grau quando Mário Quintana nasceu, em Porto Alegre. Certa época, Antonio Maria dividiu um apartamento com Chacrinha, na Cinelândia. Machado de Assis era epilético e gago. A primeira vez que Nelson Rodrigues escreveu sobre adultério ele tinha 8 anos e tratava-se de uma redação escolar de tema livre. Oswald de Andrade se casou com Pagu num cemitério. Paulo Mendes Campos experimentou LSD e relatou sua experiência em diversos artigos. Rubem Fonseca foi comissário de polícia. Aos 14 anos, Otto Lara Resende dava aulas de francês, idioma que aprendeu sozinho. Rubem Braga foi correspondente de guerra, na Itália. Sérgio Porto gostava de caminhar na chuva. Dalton Trevisan se recusa a receber visitas. Aos doze anos, Fernando Sabino foi locutor de um programa infantil. Graciliano Ramos teve quinze irmãos. Guimarães Rosa falava português, inglês, espanhol, alemão, francês, italiano, esperanto e alguma coisa de russo. Hilda Hilst namorou Dean Martin. João Cabral de Melo Neto não gosta de música. Cecília Meireles criou a primeira biblioteca infantil do Brasil. João Ubaldo foi office-boy na prefeitura de Salvador. Lygia Fagundes Telles é formada em Educação Física. Manoel de Barros morou um ano em Nova York. Mário de Andrade foi professor de música. Lima Barreto foi internado duas vezes num manicômio. Aos 9 anos, Monteiro Lobato resolveu trocar de nome e começou a ser chamado de José Bento em vez de José Renato, seu nome de batismo. O último pedido de Fernando Pessoa antes de morrer foi que lhe passassem os óculos.

Melhores momentos de um dos meus blogs favoritos

Step into my office

abril, 23 2009

O serviço de vendas tornou-se o centro ou a “alma” da empresa. Informam-nos que as empresas têm uma alma, o que é efetivamente a notícia mais terrificante do mundo.

Deleuze, te amo pra sempre.